Alunos do 8º ano criam paródias do poema de Gonçalves Dias

[row]
[column md=”3″]

“Minha escola tem biblioteca
onde eu gosto de estudar
os livros que aqui me cercam
não são tão bons quanto os de lá.

Nosso estudo faz mais sentido
nossas ideias traz mais valores
Lemos livros de todos os tipos
e vários assuntos, dos melhores escritores.

Em cismar sozinho à noite
pego meu livro para pesquisar
minha escola tem biblioteca
onde eu gosto de estudar

Não permita Deus que eu morra
sem que eu termine meus estudos
o conhecimento é muito importante
para decidirmos nosso futuro

minha escola tem biblioteca
onde eu gosto de estudar”

 

Felipe, turma 81

[/column]
[column md=”3″]

“Minha terra tem muitas árvores
que crescem sem parar
o desmatamento é incontrolável
tanto aqui como lá.

Nossa floresta é muito grande
Pena que está para acabar
Do jeito que as coisas estão indo
os animais vão ficar sem lar.

Ao olhar sozinho pela janela
não consigo controlar
o desejo que minha terra
volte a se naturalizar.

E a terra é muito bela
sua beleza é incomparável
Só olhar pela janela
não consigo controlar
O desejo que minha terra
volte a ser o meu lar.

Não permita Deus que eu morra
e continue a desmatar
ver as árvores desfalecerem

É demais só de pensar”

 

Bruno e Kamilly, turma 81

[/column]

[column md=”3″]

Na minha cidade tem bandidos
mas não precisa se preocupar
os bandidos que aqui roubam
não roubam como lá

nosso prefeito faz besteiras
E os bairros só tem horrores
Em Magé só tem pobreza
Em nossa vida, mais amores.

Em cismar sozinho à noite
mas tem prazer em morar lá
em Magé tem polícia
mas de nada adianta

Minha terra tem mais cores
que não não encontro em outro lugar
Aqui é bonito à noite
Com as estreladas ao luar

 

Júlio César e Cristhian, turma 81

[/column]

[column md=”3″]

Minha terra tem bandidos
do que furta celular
os distraídos que aqui passeiam
não passeiam com lá

Em nosso céu muita fumaça
a cada tiro tem umas dores
a cada dia com mais ladrões
não respeitam moradores

Com celular da mão
pediu para te roubar
minha terra tem bandidos
do que roubou o celular

Minha terra não tem valores
então não venha para cá
Se andar sozinho a noite
Provavelmente vão te sequestrar

Minha terra tem bandidos
do que furtam o celular
não permita Deus que eu morra
se na Lagoa eu parar
pois a minha terra tem vagabundo
Que com o mal estão a andar.

 

Kauan e Guilherme, turma 81.

 

[/column]

[/row]